Fontes orais: cidadão solar

Fontes orais:  cidadão solar

Fontes orais:  cidadão solar

9ª Região. Rita  Baratieri

Optar pela história oral como alternativa de estudo no aprimoramento do conhecimento de si, e,  do outro torna-se ingrediente da vida social.  Movimenta aspectos de “personagem histórico”, trabalha, também, com a questão do cotidiano, evidenciando a trilha da história dos “cidadãos comuns, celebridade de um bairro, uma comunidade, uma religião”, presenças que fortalce a memória coletiva de gerações que vivem no presente.

Há contadores que  viajam pelo mundo e sabem muito. Mas há contadores que  nunca sairam de seu lugar e conhecem todas as histórias de seus antecedentes.

A oralidade no tempo presente pode ser conhecida como história viva. O desafio em  se  trabalhar com fontes orais, está na possibilidade e responsabilida de aprender com grupos sociais, os sujeitos individuais nos contextos em que eles são produzida.

As fontes orais podem forma cidadão SOLAR, potencialmente com capacidade de escutar mais. A oralidade bendita permite acesso a orientação, ao  desenvolvimento uma fonte muito mais orgânica encontra-se em apreender com as  dinâmicas dos grupos e dos sujeitos em seus afazeres, valores, normas, comportamentos, etc.

Apreender tudo isso, significa trabalhar com a palavra falada trazer sinais de que  somos espiritualista vivemos a necessidade de sermos mais afetivos e partilhamos com a  realidade social a necessidade de evoluir e ir caminhando estendendo ao sol palavras benditas.

Seo Carlos Maia e um dos netos.

Seo Carlos Maia e um dos netos.

Enviar Comentário

Pular para a barra de ferramentas