Historiografia N. Lumiar – 5 Região – Maria Isabel Frossard Magalhães

Historiografia N. Lumiar – 5 Região – Maria Isabel Frossard Magalhães

 

img_9059

O sorriso da Isabel

Maria Isabel Frossard Magalhães é a Conselheira Isabel,

carinhosamente chamada de Bebel aos 70 anos de idade.


Ela acompanha a irmandade do Núcleo Lumiar desde os primeiros ‘’atos’’ do núcleo como no acontecimento da formalização da doação do terreno e a 1° sessão ocorrida na área doada, antes mesmo do início da construção da obra do Núcleo onde hoje estamos instalados.

Por ser a sócia mais idosa, logo assumiu o lugar de matriarca da irmandade, bem querida por todos, inclusive pelas crianças, sendo destaque com seu jeito alegre e acolhedor.
Na ocasião da atividade estavam presentes boa parte dos sócios do núcleo, incluindo também sua filha e seus dois netos.

 

img_9055

Boneca, colcha e objetos pessoais da Isabel

O cenário foi marcado e ornamentado com objetos pessoais da Isabel, escolhidos pelo seu valor sentimental e longo tempo, como o vestido usado por ela em seu batizado, discos de vinil antigos que gostava de ouvir, colcha de fuxico feita por ela, entre outros objetos que remetiam à sua memória de infância.

 

img_9077

Crianças junto a Isabel

 

Nai, filha de Isabel.

img_9035

Criança perguntando

As perguntas eram formuladas de forma espontânea pelas crianças e o foco foi a infância da Isabel objetivando assim trazer ao conhecimento das pessoas presentes como viviam as crianças daquela época.
- Devido a um problema na fala ocasionado por um AVC (Acidente Vascular Cerebral) que a entrevistada sofreu, sua filha Nai e a Conselheira Josele – responsável nuclear pelo trabalho da Orientação Espiritual – mediaram e interpretaram algumas falas, facilitando o entendimento por parte de quem estava assistindo, principalmente das crianças presentes. Restrição física que não impediu a entrevista, só a tornou mais emocionante e singular.

 

img_9053

Placa do apiário do pai da Isabel

img_9013

Boneca que Isabel brincava quando era criança

 

O recordatório transcorreu com muito saudosismo e o assunto mais explorado foi as brincadeiras da época de criança onde ela relatou que brincava com bonecas e bichinhos de frutas devido ter passado a sua infância em um sítio da família e ainda guardava com carrinho um rótulo de mel produzido pela família dela nessa época.

Entre tantas outras perguntas ela falou dos irmãos, inclusive que ajudou a cuidar do irmão mais novo.
Casou cedo e teve um filho (falecido ainda jovem) e uma filha – Nai, que foi quem a trouxe para a UDV ainda nos anos 90. Naquela oportunidade bebeu o vegetal pela primeira vez em Brasília depois chegou a frequentar outros núcleos da região.

 

img_9067

Disco de Vinil

img_9088

Crianças tocando no disco de vinil

 

Quando recordou seu gosto musical, mostramos para as crianças um disco de vinil e uma vitrola, na qual tivemos a oportunidade de colocarmos para todos ouvirem uma música do Roberto Carlos (Fé), um de seus cantores preferidos, foi um momento emocionante trazendo lágrimas aos olhos de alguns participantes.

O entrevista foi concluída com uma salva de palmas e um abraço coletivo das crianças na entrevistada.
 Foi oferecido um lanche em homenagem a ela contendo alguns alimentos que ela gosta como bolo de fubá com goiabada.

 

Participantes

Participantes

Após o lanche realizamos uma atividade manual, pois a Bebel sempre teve muita habilidade e criatividade. Ensinamos as crianças como fazer um pompom de lã com as próprias mãozinhas. Todos os pompons produzidos foram guardados para em uma próxima etapa afixarmos na cortina do dormitório enfeitando o ambiente. (21/11/15)

1 Comentário

  1. Foto de perfil de Elisangela Ferrete Soares

    Homenagem Merecida a nossa querida Bebel.
    Eternamente em nossos corações.

Enviar Comentário

Pular para a barra de ferramentas