Notícias&Dicas OEUDV

 

Expedição Água das Estrelas

Ikuiebo – Água das Estrelas
No Século XVIII, quando os bandeirantes chegaram ao local onde hoje repousa Cuiabá, encontraram uma grande nação indígena que se autodenominava Boé, mas que ficou sendo conhecida como Bororo. Estes índios vivam em uma região repleta de córregos banhados a ouro.
Para estes índios o ouro que brilhava em seus córregos lembrava o brilho das estrelas. E por isso eles chamavam um de seus córregos repletos de pepitas de ouro de IKuiebo, ou Água das Estrelas.
Procurando honrar estas pessoas e este lugar, decidimos chamar nossa expedição de Expedição Água das Estrelas. Um nome que nos aponta para o valor das riquezas da terra e para o valor das belezas do céu.
Pés no chão, cabeça nas estrelas!

Objetivos
 Honrar nossos ancestrais e as pessoas que moravam neste lugar antes nós.
 Trabalhar o fortalecimento da amizade e união entre os jovens.
 Superar limites físicos e emocionais.
 Valorizar a ordem e a obediência.
 Valorizar o conforto oferecido pelos pais.
 Valorizar os alimentos que nascem no chão do cerrado.

Espiritualidade e Cidadania – Práticas do perguntatório

Atualmente, pensadores ligados à educação, vem destacando a preocupação de como as instituições vem realizando a manutenção dos valores da sociedade, como a educação formal e informal vem trabalhando o ser humano, apontando a necessidade para caminhos mais éticos que formem cidadãos mais participativos e conscientes. Um dos maiores desafios de nosso século é aproximar a espiritualidade da política, firmando um compromisso das esferas públicas com a sustentabilidade do planeta.
Nesta linha de pensamento vivemos um momento onde se faz necessário o trabalho de consciência planetária para construirmos uma sociedade mais justa, pacifica, produtiva e sustentável. Reorientar nossa visão de mundo para plantar sementes de valores éticos, princípios que mantenham a sobrevivência do próprio planeta e da nossa espécie. Plantar estes valores nos comportamentos para que possamos formar lideranças políticas mais comprometidas com princípios que disciplinam e orientam o comportamento humano.
Práticas como esta dizem muito mais que uma filosofia educacional comprometida com a espiritualidade, com a orientação para aprimorar virtudes e o intelecto, diz respeito a uma cidadania planetária de um indivíduo que faz parte de uma comunidade.

Fontes orais: cidadão solar

Optar pela história oral como alternativa de estudo no aprimoramento do conhecimento de si, e, do outro torna-se ingrediente da vida social. Movimenta aspectos de “personagem histórico”, trabalha, também, com a questão do cotidiano, evidenciando a trilha da história dos “cidadãos comuns, celebridade de um bairro, uma comunidade, uma religião”, presenças que fortalce a memória coletiva de gerações que vivem no presente.

Isto me lembra uma história

Compartilhar o saber de um senhor chamado Marcirio, sua idade parece contos de fadas, 104 anos. Fez muitas travessias na linha do tempo. Em si tem memórias lucidas de dias bem vividos. E a menina dos olhos revela, seu espanto diante de tantas mudanças. Sua presença nos conta histórias com marcas do menino que foi, um jovem que serviu o exercito, marido, pai, avô, bisavô… Seu Marcirio, viu o mundo ficar envelhecido diante de si.

Quem está online

Não há usuários online neste momento

Informativo O REDÁRIO

Clique aqui para se inscrever em nosso informativo O REDÁRIO e recebe relatos em seu e-mail.

Comentários (mais comentadas)

Membros

Pular para a barra de ferramentas